Glycoxil: conheça esse ativo fantástico!

Pigmerise
18 de maio de 2016
Magtein
23 de maio de 2016

Glycoxil: conheça esse ativo fantástico!

Glicoxyl

Conheça esse ativo Fantástico no tratamento da diabetes.

Glicoxyl tem ação anti-envelhecimento, anti-gordura, diminui a glicemia e ainda tem ação cicatrizante.

Confira abaixo texto retirado da revista Biotec:
Por Dra. Simone Santana Contu* (RS)

“Venho prescrevendo Glycoxil  para tratar a síndrome metabólica, onde a gordura acumulada produz substâncias que dificultam a ação da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas que controla a taxa de açúcar no sangue.

Para os que sofrem da síndrome metabólica abdominal acentuada, especificamente, e apresentam glicemia aumentada, tenho percebido melhorias significativas nos respectivos índices, incluindo os de colesterol, constatados em exames clínicos. Com uma dosagem que varia de 100 a 200mg, o ativo oral é indicado inclusive como parte da terapia antiaging.

Outra aplicação de Glycoxil® que nos traz muito resultado no consultório é a associação a tratamentos mais comuns como os de dieta moderada, com diminuição de carboidratos à noite. Isso porque o Glycoxil é formado por estruturas dipeptídicas que mimetizam um peptídeo do organismo, a carcinina, que compete com os açúcares protegendo as proteínas de glicação, apresentando ainda atividade antiglicoxidante (antiglicante + antioxidante).”

 

Glycoxil e metabolismo de gorduras e açúcares

O aumento dos níveis de AGEs (produtos finais de glicação avançada) compromete o metabolismo da glicose e gera maior resistência à insulina. Além da glicose os lipídios, como o LDL-colesterol, também podem reagir com os AGEs, formando o LDL-AGEs, que ativa a resposta inflamatória e a disfunção do endotélio.

Os AGEs ainda estão diretamente associados às complicações diabéticas, principalmente à retinopatia, neuropatia e à insuficiência cardíaca.

A molécula da carcinina (Glycoxil®) possui um grande diferencial. É um dipeptídeo modificado, que possui estabilidade molecular e maior resistência à hidrólise enzimática, consequentemente, maior meia vida e aumento da biodisponibilidade no organismo. A carcinina não libera histamina diminuindo o risco de reações alérgicas e proporcionando segurança no uso. Devido à maior meia vida, é o único desglicante, isto é, tem a capacidade de desligar o açúcar que se ligou à proteína revertendo as rugas já formadas.Já a carnosina, apresenta baixa biodisponibilidade devido à sua inativação pelas enzimas do corpo e meia vida biológica curta (rápida degradação), além de na sua quebra, ocorrer a liberação de histamina.

 

Glycoxil e envelhecimento cutâneo

 

Os AGEs acumulam-se com o envelhecimento. Na pele, esse acúmulo pode promover o aspecto amarelado do tecido, além da pele mais fina, ressecada, com mais hiperpigmentações difusas, menos elástica e mais enrijecida, concomitante ao aparecimento de rugas. Diversas funções cutâneas são modificadas pela glicação, entre elas, a síntese de macromoléculas (colágeno, elastina e glicosaminoglicanas), as metaloproteinases e a organização da matriz extracelular.

O ativo promove ainda a redução da aparência amarelada da pele, sua revitalização e redensificação e a diminuição de rugas e linhas finas. Observa-se ainda a melhoria do padrão de pigmentação da pele, o aumento da hidratação cutânea e maior luminosidade para a pele.

 

*Nutróloga, graduada em Medicina, Mestre e Doutora em
Cirurgia pelo Programa de Pós-Graduação em Medicina-
Cirurgia e especialização em Medicina do Trabalho - todos
os títulos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Estes são nossos produtos mais vendidos

Glicoxyl tem ação anti-envelhecimento, anti-gordura, diminui a glicemia e ainda tem ação cicatrizante.

Confira abaixo texto retirado da revista Biotec:
Por Dra. Simone Santana Contu* (RS)

“Venho prescrevendo Glycoxil  para tratar a síndrome metabólica, onde a gordura acumulada produz substâncias que dificultam a ação da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas que controla a taxa de açúcar no sangue.

Para os que sofrem da síndrome metabólica abdominal acentuada, especificamente, e apresentam glicemia aumentada, tenho percebido melhorias significativas nos respectivos índices, incluindo os de colesterol, constatados em exames clínicos. Com uma dosagem que varia de 100 a 200mg, o ativo oral é indicado inclusive como parte da terapia antiaging.

Outra aplicação de Glycoxil® que nos traz muito resultado no consultório é a associação a tratamentos mais comuns como os de dieta moderada, com diminuição de carboidratos à noite. Isso porque o Glycoxil é formado por estruturas dipeptídicas que mimetizam um peptídeo do organismo, a carcinina, que compete com os açúcares protegendo as proteínas de glicação, apresentando ainda atividade antiglicoxidante (antiglicante + antioxidante).”

 

Glycoxil e metabolismo de gorduras e açúcares

O aumento dos níveis de AGEs (produtos finais de glicação avançada) compromete o metabolismo da glicose e gera maior resistência à insulina. Além da glicose os lipídios, como o LDL-colesterol, também podem reagir com os AGEs, formando o LDL-AGEs, que ativa a resposta inflamatória e a disfunção do endotélio.

Os AGEs ainda estão diretamente associados às complicações diabéticas, principalmente à retinopatia, neuropatia e à insuficiência cardíaca.

A molécula da carcinina (Glycoxil®) possui um grande diferencial. É um dipeptídeo modificado, que possui estabilidade molecular e maior resistência à hidrólise enzimática, consequentemente, maior meia vida e aumento da biodisponibilidade no organismo. A carcinina não libera histamina diminuindo o risco de reações alérgicas e proporcionando segurança no uso. Devido à maior meia vida, é o único desglicante, isto é, tem a capacidade de desligar o açúcar que se ligou à proteína revertendo as rugas já formadas.Já a carnosina, apresenta baixa biodisponibilidade devido à sua inativação pelas enzimas do corpo e meia vida biológica curta (rápida degradação), além de na sua quebra, ocorrer a liberação de histamina.

 

Glycoxil e envelhecimento cutâneo

 

Os AGEs acumulam-se com o envelhecimento. Na pele, esse acúmulo pode promover o aspecto amarelado do tecido, além da pele mais fina, ressecada, com mais hiperpigmentações difusas, menos elástica e mais enrijecida, concomitante ao aparecimento de rugas. Diversas funções cutâneas são modificadas pela glicação, entre elas, a síntese de macromoléculas (colágeno, elastina e glicosaminoglicanas), as metaloproteinases e a organização da matriz extracelular.

O ativo promove ainda a redução da aparência amarelada da pele, sua revitalização e redensificação e a diminuição de rugas e linhas finas. Observa-se ainda a melhoria do padrão de pigmentação da pele, o aumento da hidratação cutânea e maior luminosidade para a pele.

 

*Nutróloga, graduada em Medicina, Mestre e Doutora em
Cirurgia pelo Programa de Pós-Graduação em Medicina-
Cirurgia e especialização em Medicina do Trabalho - todos
os títulos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.